Centrosema

   A Centrosema (Centrosema pubescens Benth), também conhecida como Jetirana, é uma leguminosa nativa da América do Sul. Planta perene, herbácea, de caules rastejantes e trepadores, com raízes profundas. Tem folhagem abundante e suas folhas, de coloração verde-escura, medem de 1,5 a 7 cm de comprimento e 0,6 a 4,5 cm de largura. As flores formam-se em pequenos ramos de 6 cm ou mais, com cor azul-pálida ou lilás. Possui vagens lineares com 4 a 7 em de comprimento e 0,6 a 0,7 cm de largura, de cor marrom-escura, quando maduras. Estas vagens apresentam vinte ou mais sementes de cor marrom, marrom-avermelhada ou acinzentada com listras pretas. A centrosema é tradicionalmente usada como forrageira e sua popularidade advém do seu alto valor nutritivo, vigor, produtividade e capacidade de se consorciar com gramíneas tropicais. Quando plantada isolada, forma um povoamento de 40 a 50 cm de altura, em três a quatro meses após a semeadura. A centrosema contém em média de 18 a 20% de proteína bruta e suas hastes permanecem finas e não lenhificadas até estágios muito avançados de crescimento. A digestibilidade da matéria seca é de cerca de 53,3%. Resiste bem a pastejo controlado, mas não tolera lotações pesadas. Produz bom feno se for colhida após a floração e antes da formação das sementes, embora a queda de suas folhas acarrete problemas durante a secagem e enfardamento. Experimentos mostraram que ela tem capacidade de fixar 280 kg/ha/ano de nitrogênio. Em solos pobres, onde foram feitas adubações com super fosfato, a fixação foi de 66kg/ha/ano.

Clima e solo
Centrosema   A centrosema desenvolve-se bem em diversos tipos de solo, desde arenosos até argilosos. Mostra grande vigor em solos aluviais, mas não tolera excesso de umidade. Cresce bem em terrenos mal preparados e ácidos (pH entre4,9 e 5,5) desde que tenham boa fertilidade. Adapta-se melhor a climas úmidos ou moderadamente úmidos dos trópicos e subtrópicos, com chuvas anuais de 700 a 1500 mm. Seu sistema radicular lhe permite cena tolerância à seca. Quando as secas são prolongadas a planta perde as folhas e permanece em dormência, rebrotando com as chuvas. A centrosema é muito sensível à geada e a temperatura ideal para o seu melhor desenvolvimento varia de 12,8 ºC a 25,6 ºC.

Plantio
   É feito na primavera, tanto para cultura exclusiva como consorciada, à taxa de4 a 6 kg/ha de sementes, em linhas afastadas de 50 cm a 1 m. As sementes devem ser semeadas de 2,5 a 5,0 cm de profundidade. Recomenda-se fazer uma gradagem ligeira imediatamente após a distribuição das sementes.

Colheita
   A colheita é feita manualmente. A floração prolonga-se por longo tempo e as vagens abrem-se quando atingem amaturação, o que dificulta a colheita mecânica. A construção de suportes para as  plantas subirem facilita a colheita manual. O rendimento varia de acordo com a colheita (manual ou mecânica). Na Austrália colhem-se, em média, 140 kg/ha de semente mecanicamente e em Uganda, 200 a270 kg/ha manualmente. Em solos de cerrado, a produção varia de 3 a 5,5 t de ma-téria seca por hectare, mas são registradas produções maiores em solos de melhor fertilidade, chegando a 12 t/ha.

Consorciamento
   A centrosema consorcia-se bem com a maioria das espécies de gramíneas, incluindo o Melinis minuti flor (gordura), Panincum maximum (colonião), Hyparrhenia rufa (jaraguã), Pennisetum purpureum (capim-elefante) e Paspalum notatum (grama batatais). Com gramíneas como a Bachiaria decumbens e a Bachiaria mutica (angola) o resultado é menos seguro, de acordo com pesquisas de consorciação em que, muitas vezes, a centrosema foi eliminada.

Pragas e doenças
   Na Austrália, Panamá, Fiji e Brasil, a centrosema é atacada por Cercospora nas folhas. A doença de maior incidência no Brasil é a antracnose (Clototrichum gloesporóides), que ataca vagens a folhas.

Fotos
A centrosema contém 18 a 20 % de proteína bruta e suas hastes permanecem finas e não lenhificadas até estágios mais avançados de crescimento.
A centrosema contém 18 a 20 % de proteína bruta e suas hastes permanecem finas e não lenhificadas até estágios mais avançados de crescimento.
Flores de Centrosema

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .