Milho doce


O Milho-doce é um mutante do milho comum (Zea mays L.), com muito menos amido, razão pela qual não serve para fazer pamonha e curau, por exemplo. Mas é saboroso quando consumido cozido. O destino de quase todo o milho-doce produzido no Brasil é a indústria de enlatados, e é nessa forma que o produto chega ao mercado.
Milho doce

Clima e solo 
   As exigências de solo são iguais às do milho comum — o milho-doce requer apenas um pouco mais de adubação, devendo-se dar especial atenção para a aplicação de magnésio e zinco.
A adubação orgânica aumenta a produção. Em relação ao clima, o milho-doce pode ser plantado em quase todo o país, de Belém para o Sul. Os maiores produtores brasileiros são o Rio Grande do Sul (região de Pelotas), o eixo Goiás-Distrito Federal e o Triângulo Mineiro.

Variedades 
   Dos cerca de 10 000 ha plantados no Brasil, mais da metade é ocupada com as variedades doce cristal e super-doce, ambas desenvolvidas pelo Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças (CNPH) e pelo Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo (CNPMS), da Embrapa. A doce-cristal é mais rústica, com alta resistência à lagarta da espiga e à ferrugem, e por isso mais indicada para hortas domésticas. Além delas, há diversas cultivares no Brasil, como IAC doce cubano branco, nutrimaiz (da Unicamp), contidoce (da Contibrasil), superdoce AG-09 (Agroceres) e tropical (Agroflora). As sementes são obtidas diretamente na instituição que desenvolveu as cultivares ou no Serviço de Produção de Sementes Básicas (SPSB), da Embrapa, ou ainda no Instituto Agronômico de Campinas (fAC).

Plantio 
   É feito em qualquer época do ano, em regiões sem geadas, mas consegue-se melhor produtividade plantando-se no verão. Como o ciclo do milho-doce é de 75 a 90 dias (até a colheita da espiga
verde), é possível obter três safras no ano. São necessários 12 kg/ha de sementes. Importante: o milho-doce não pode ser plantado junto com o milho comum e
em relação a este, deve-se observar a distância de, no mínimo, 400 metros. Caso contrário, os grãos produzidos serão de milho comum e não de milho-doce.

Pragas e doenças 
   A principal doença é a ferrugem, mas não justifica pulverizações. As pragas mais importantes são a lagarta-da-espiga e a lagara-do-cartucho.

Colheita 
   E feita quando o grão está cheio, em torno de 30 dias depois da polinização (que ocorre quando se abre o pendão que solta o pólen). O milho-doce é colhido verde. Normalmente produz-se de 10 a 12 t/ha de espigas. No período mais quente, porém, alguns produtores conseguem colher de 15 a 16 t/ha.  Milho doce de boa qualidade tem casca fina, grão crocante e cor amarelo-ovo.

Composição por 100 g 
   Milho enlatado — 82 calorias, 2,1 g de proteínas, 3
mg de cálcio, 56 mg de fósforo, 0,6 mg de ferro, 33 mmg de vitamina A, 0,03 mg de vitamina BI , 0,05 mg de vitamina B1 e 5 mg de vitamina C.

Fonte: Eng. Agr. Francisco J. B. Reifschneider - Centro Nacional de Pesquisa de Hortaliças (CNPH), da Embrapa.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .