Cevada


Cevada (Hordeum vulgare)   A Cevada (Hordeum vulgare) é uma gramínea com grande capacidade de adaptação. Entre as várias espécies, há as que crescem nos limites do Círculo Polar Artico, onde nenhum cereal consegue sobreviver, as que crescem nos climas áridos do deserto do Saara, nos altiplanos do Tibete, até cerca de 4 600 m de altitude, e nas planícies tropicais da índia. Apenas duas espécies são cultivadas: a de seis fileiras, chamada cevada forrageira (Hordeum vulgare L.), e a de duas fileiras, conhecida como cervejeira (Hordeum distichum). A cevada é cultivada no Brasil desde o período colonial e tem sido usada aqui principalmente para preparar o malte utilizado na fabricação de cerveja, mas seu grão pode ser usado também como ração ela serve também como forragem verde de inverno, em período de carência, ou para preparação de feno. A preparação do malte é feita com o grão germinado. Perdido o poder germinativo, desaparece o seu valor como matéria prima do malte. O malte''que dá as melhores cervejas é feito com cevada de baixo teor de proteínas (no máximo 11,5%). Assim, o grão sem germinação ou com alto teor de proteína é encaminhado para a produção de rações, perdendo grande parte do valor comercial. 
   O teor de proteína está relacionado não só com a variedade, mas também com a temperatura, o teor de matéria orgânica e de nitrogênio no solo. A mesma variedade plantada em regiões de climas diferentes produzirá grãos com maior teor de proteína na área de clima mais quente. Em alguns países, como o México, procura-se obter variedades de cevadas mais ricas em proteínas para alimentação humana.
  A Cerveja é a bebida alcoólica mais consumida no Brasil e no mundo é produzida a partir de cereais,  sendo o principal a cevada que é passada pelo processo de maltagem.

Clima e solo 
   É mais resistente à seca que o trigo, suporta melhor o frio, incluindo as geadas, é mais rústica e pode ser cultivada em solos pobres, além de ter um teto de produção mais alto que o trigo. As variedades nacionais, vindas da Argentina, não toleram solos com índices superiores a um equivalente de 1 ml de alumínio por 100 g de solo seco e se adaptam bem aos com teores entre 10 e 100 equivalentes de 1 ml de cálcio e magnésio por 100 g de solo seco. O pH do solo deve ser de aproximadamente 6,0 e a preparação do solo é idêntica à recomendada para o trigo. A adubação nitrogenada deve ser evitada. A produção brasileira, hoje, é restrita aos Estados da região Sul.

Semeadura 
   Espaçamento de 15 a 20 cm entre as linhas, com 50 a 60 sementes por metro linear, dando cerca de 300 plantas/m2. Gastam-se em média 100 kg de sementes/ha. As sementes são colocadas até a 5 cm de profundidade.

Épocas de semeadura 
   Rio Grande do Sul — 20 de maio a 30 de junho na região norte (região do Planalto) e nos seguintes municípios da região sul: Cacequi, Cachoeira do Sul, Caçapava do Sul, Santa Maria, São Gabriel, São Pedro, São Sepé, Encruzilhada do Sul, Rio Pardo e Rosário do Sul; I de julho a 15 de julho nos demais municípios. 
   Santa Catarina — 20 de junho a 15 de julho nas microrregiões de Campos de Curitibanos e Campos de Lages; 20 de maio a 30 de junho nos demais municípios. Paraná — 20 de maio a 30 de junho na região sudoeste e 1 a 30 de junho nos demais municípios. O ciclo
da cevada é de 135 dias.


Tratos culturais 
   O controle de invasoras e de doenças e o combate a pragas são semelhantes aos tratos do trigo, embora a cevada seja mais resistente às doenças.

Pragas e doenças 
   As principais pragas são os pulgões da folha e da espiga e as lagartas. As doenças das raízes (podridão comum das raízes e mal-do-pé) são causadas principalmente pelo plantio contínuo de cevada, trigo, triticale. centeio e outras gramíneas na mesma área„ Recomenda-se a rotação de culturas como medida de controle importante e não só contra essas doenças mas também as da parte aérea: mancha reticular, mancha marrom, oídio e ferrugem. que são as mais freqüentes; escaldadura, ferrugem do colmo do trigo, carvão nu e carvão coberto, mais raras.

Colheita e armazenamento 
plantio de cevada   Para transformação de cevada em malte, exige-se 95% de poder germinativo. Todo cuidado deve ser utilizado na colheita e no armazenamento, que precisam ser criteriosos para manter esse poder de germinação. Aconselha-se fazer a colheita em dias secos, evitando-se as primeiras horas da manhã.

Produção e produtividade 
   A produção brasileira de cevada varia muito, e a produtividade também. Os maiores produtores são o Paraná, Rio Grande do Sul, e Santa Catarina . A maior produtividade média é conseguida no Paraná.
  Existem três maltarias operando no Brasil atualmente uma no Rio Grande do Sul, uma no Paraná, e outra em São Paulo, o resto da cevada consumida no mercado nacional é importada principalmente do Uruguai e Argentina.

Comercialização 
   Os compradores são as companhias cervejeiras, que detêm a produção de sementes de variedades que geralmente levam seus nomes.

Vantagens 
   Uma grande vantagem para o agricultor que planta cevada é que até meados de novembro ela já está colhida, e a soja pode ser cultivada mais cedo. Apesar de a produtividade ser baixa no Brasil, em pequenas propriedades conseguiu-se a produção de até 5 200 kg/ha.


Adventistas e a cevada
   Adventistas e mórmons trouxeram o hábito de misturar a cevada torrada e moída ao café. E os adeptos da macrobiótica substituem totalmente o café pela cevada. Como o preço do café é bem superior ao da cevada, há brasileiros que já vêm assimilando o hábito europeu de misturar a cevada moída ao pó de café, em porcentagens crescentes, para ir acostumando o paladar. O sabor da cevada é completamente diferente do sabor do café.

Composição por 100 g 
   Cevada torrada: 351 calorias, 7,70 g de proteínas, 55 mg de cálcio, 253 mg de fósforo, 7,10 mg de ferro. 0,12 mg de vitamina B, e 0,18 mg de vitamina B2. Grão inteiro: 348 calorias, 9,70 g proteínas, 55 mg de cálcio, 253 mg de fósforo, 4,50 mg de ferro, 2 mmg de retinol (vitamina A), 0,38 mg de vitamina B, e 0,20 mg de vitamina B1. 
Pão de cevada: 302 calorias, 7,20 mg de proteínas , 60 mg de cálcio, 224 mg de fósforo, 6,50 mg de ferro, 0,19 mg de vitamina BI e 0,08 mg de vitamina B2.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .