Rúcula

    A Rúcula (Eruca saliva Lamk.), também chamada pinchão, originária da Europa, Ásia Ocidental e norte da África, é uma planta anual da família das brassicáceas (anteriormente denominada das crucíferas), a mesma do repolho, das couves, do rabanete e do agrião. Tem porte baixo, folhas relativamente espessas, divididas, com limbo verde-arroxeado-claro, tenras, habitualmente consumidas como salada e consideradas estimulantes do apetite. O nome rúcula é de origem italiana (ruccola), cuja colônia é tradicional consumidora dessa hortaliça, enquanto pinchão é de origem portuguesa. Em condições culturais adequadas e no seu máximo desenvolvimento, antes de iniciar a formação da haste floral, esta hortaliça chega a medir12 cm de altura e 25 cm de diâmetro horizontalmente. 

Clima e solo 
    É uma cultura exigente em frio, e o calor provoca o crescimento mais rápido, tomando as folhas pequenas e rijas. Os solos preferidos são areno-argilosos, firmes, ricos em matéria orgânica e nitrogênio, com pouca acidez e bem drenados, quando em condições de muita umidade (o excesso de água prejudica o seu crescimento e toma as plantas muito fracas). 

Plantio 
    Normalmente de março a agosto e durante todo o ano em regiões deverão ameno. De oito a dez dias antes do plantio, cada melro quadrado dos solos de média fertilidade deve receber 10 kg de esterco curtido de curral e 200 g de fosfato de rocha. A propagação é feita por meio de sementes, no local definitivo, em sulcos distanciados de 25 a 30 cm. É necessário 1 g/m2 (cerca de 600 sementes). 

Raleação
    Quando as plantas estiverem com cerca de 10 cm de altura, deixando-as distanciadas 5 cm.

Tratos culturais
    As irrigações são diárias, após a raleação ou depois de cada corte, é feita a adubação em cobertura, com a aplicação de 5 kg de esterco líquido por metro quadrado.

Pragas e doenças 
    As pragas que mais atacam são as lagartas, os insetos sugadores e os mastigadores, o curuquerê, o brasileirinho (besourinho) e os pulgões. As doenças são as podridões negra e mole, o míldio, a murcha-fusariana, os mosaicos e a hérnia. 

Colheita 
    É feita de trinta a quarenta dias após a semeação. As folhas são cortadas rente ao solo, quando bem desenvolvidas, ou a planta é arrancada inteira. Outros cortes são possíveis cerca de vinte dias depois do primeiro e antes do florescimento. O número de folhas varia de 15 a 35 por planta. Para a produção de sementes, a colheita inicia-se 110 a 130 dias depois do plantio, quando as vagens estiverem amareladas, parcialmente secas. As vagens são postas então para secar à sombra por três a cinco dias, e os feixes são batidos e peneirados. As sementes são postas para terminar a secagem à sombra. Recomenda-se não produzir, no mesmo período, sementes de outras hortaliças da mesma família, para evitar cruzamentos. Cada planta dá em média 4 g de sementes.

Fotos

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .