Píretro

    Píretro, o plantio e a utilização como inseticida.O Píretro (Chrysanthemum cinerariae-folium Vis.), originário da costa do Mediterrâneo, é uma planta perene, herbácea, da família das compostas, que contém em suas flores um grupo de substâncias altamente tóxicas para o animais de sangue frio, especialmente insetos, e são praticamente inócuas aos animais de sangue quente. 



Variedades
    A quênia é indicada pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC). 

Clima e solo 
    Adaptável a diversas condições climáticas, suporta temperaturas até 43°C, mas prefere médias de 13°C,em locais com altitude de 200 a 3 000 m. Exige boa luminosidade solar e é sensível a geadas. Os solos ideais são os profundos, bem drenados e argilosos. Não é exigente em fertilidade.  

Propagação 
    Por mudas, obtidas pela divisão de moitas adultas ou pelo plantio de sementes. Este último é feito com a semeação em viveiro, em maio ou junho em São Paulo, em sulcos espaçados em 5 cm. A germinação ocorre de sete a dez dias depois. Quando atingem 5 cm (junho ou julho), as mudas são repicadas no espaçamento 10 x 10 em. Cerca de 60 a 90dias depois (outubro ou novembro) as mudas estão com 7 a 12 folhinhas, e são então transplantadas para local definitivo,em dias chuvosos ou encobertos, com espaçamento de 60 a 80 cm entre as linhas e 40 cm entre as plantas. 

Colheita 
    De setembro a fevereiro. De novembro a janeiro ocorre o maior florescimento. O teor de piretrinas (substâncias tóxicas) aumenta à medida que as inflorescências crescem, atingindo o máximo no período de plena polinização. A colheita das flores é feita em dias secos e ensolarados, quando o disco central apresente coloração amarelo-escura. A produtividade é de 500 a 800 kg/ha de flores secas. 

Secagem 
    Expor as flores ao sol durante o dia, recolhendo-as à noite. Em estágio mais adiantado, termina-se o pro-cesso de secagem à sombra. Podem ser usados secadores artificiais, com temperatura inferior a 50°C. As flores estão prontas para uso quando têm 7 a 12% de umidade. 

Usos 
    As piretrinas controlam insetos caseiros (moscas, mosquitos, piolhos, percevejos, traças e formigas), podendo ser usadas também contra parasitos de animais. Na agricultura, combatem tripes, pulgões, percevejos e besouros. As piretrinas se decompõem rapidamente quando aplicadas sobre as plantas, perdendo sua ação tóxica contra os insetos,  não deixando resíduos. Sua ação não ultrapassa seis dias e, havendo reinfestação de insetos, são necessárias novas aplicações. 

Formulações 
    Para uso doméstico, colocar 200 g de pó de flores de píretro e 60g de salicilato de metila em um litro de querosene ou álcool, deixando em infusão por 48 horas e coando em seguida. Aplica-se com pulverizador. Para outros usos (na agricultura) pode-se usar diretamente o pó de flores de píretro finamente moídos, ou misturar o pó (2 a 5 kg) com 1 kg 220 ou 440 g de extrato de píretro a 0,9% com 100 l de água. Outra solução é usada com sabão (100 g de pó de píretro, 20 g de sabão e 1 l de água).

Fotos

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .