Pepino

    O Pepino (Cucumis sativus L,), originário da Ásia (índia), é uma hortaliça anual que produz frutos, e como todas as cucurbitáceas, tem flores femininas e masculinas e depende das abelhas para a polinização. Pode se desenvolver em culturas rasteiras ou tutoradas. Neste caso, o tutoramento protege os frutos contra doenças transmitidas pelo contato com o solo. É muito procurada para consumo a natural ou pelas indústrias, que a utilizam para a fabricação de picles. Na medicina caseira, o pepino é tido como um dos melhores diuréticos naturais, recomendado para a eliminação do ácido úrico do organismo. Além de ser usado pela indústria de cosmético natural. 

Clima 
    É planta tipicamente tropical, não suportando temperaturas baixas nem geadas. 

Solo 
    Desenvolve-se bem em solos drenados, arilo-arenosos e com pH entre 5,5 e 6,5. 

Variedades 
    No Centro-Sul destacam- se para consumo do natural as do grupo aodai, introduzido em São Paulo a partir do Japão. Dependem de tutoramento e produzem pepinos retos, com 20 a 25 cm de comprimento e 4 a 5 em de diâmetro. As do grupo caipira, também bastante cultivadas, produzem frutos com 10 a 14 cm de diâmetro, mais claros e bojudos que os anteriores. Para a produção de conserva, as indústrias exigem frutos de 5 a 10 cm de comprimento (de preferência até 7 cm) e 2 a 3 cm de diâmetro. Algumas variedades indicadas são, para mesa, aodai, verde-comprido-comum, marketes, aodai-Nazaré, asgrow, midori (híbrido), Sprint-440 (híbrido), caipira japonês e vitória. A Embrapa e a Empresa Goiana de Pesquisa Agropecuária (Emgopa) lançaram os híbridos do tipo caipira anápolis-796 e anápolis-798, com frutos precoces de 12 a 13 cm de comprimento (colhidos a partir de 48 dias depois da semeadura) e com boa tolerância a doenças. Para conserva: pioneer, carolina, híbrido-branco, premier, cornichon, winsconsin SMR-58, híbrido-tamor e score (híbrido). Cada estado tem muitas variedades apropriadas, segundo indicações dos órgãos de pesquisa e assistência locais. (Ver foto das variedades no final do artigo)

Época de plantio 
    Setembro a fevereiro, ou o ano todo em regiões de clima quente. 

Espaçamento 
    Em culturas tutoradas, o mais adequado é o de linhas duplas, com espaçamento de 100 cm entre elas e de 50 cm entre as plantas (l00 x 50 x 50 cm); em culturas rasteiras, o espaçamento ideal é de 200 x 100 x 100 cm. O número de sementes por cova depende do tipo da variedade. Gastam-se, em média, para semear 1 ha de pepino, 2 kg de sementes aodai; 1 kg de caipira, e 1 a 1,5 kg de sementes de variedades destinadas à indústria, Das outras, usam-se três ou quatro sementes por cova, que deve ter 2 cm de profundidade. Experimentos feitos pela Empresa Catarinense de Pesquisa Agropecuária (Empasc) mostraram que o aumento da densidade de plantas por unidade de área é altamente compensador na produção de pepino para conserva. 
    O rendimento e o número de frutos comerciais por metro quadrado tendem a aumentar com o incremento das densidades. Elevando-se a densidade de 13.300 plantas/há, ainda utilizada por muitos produtores, para 20.000 plantas/ha foi possível obter um incremento de produtividade de 68% com os cultivares score e ginga AG-77. Com uma densidade de 80.000 plantas/ha, a score rendeu 15.3 t/ha e a ginga AG-77, 14,3 t/ha. O Instituto Agronômico de Campinas (IAC) recomenda o espaçamento de 1 x 0,80 m com estaqueamento e. um pé por cova ou 2 x 1 m sem estaqueamento (tipo caipira), sendo possível plantar dois pés por cova se a ramificação lateral não for abundante. 

Condução da cultura 
    Apenas os frutos para consumo natural são tutorados: os que vão servir para a fabricação de picles são colhidos ainda tenros. O tutoramento onera os custos de produção com tratos manuais como amarrios e podas. E impossibilita a mecanização das operações. Mas é compensador quando se utilizam variedades muito produtivas, como as. do grupo aodai. A cultura tutorada facilita alguns tratos culturais, simplifica a colheita, e, sobretudo, evita a barriga-verde, doença que, pela falta de sol, ataca os frutos em contato com o solo. Cravam-se estacas de 2,5 x 2,5 cm de espessura e 2,20 m de comprimento entre duas plantas da fileira. Para apoiar as plantas, usa- se uma fita de polierileno firmemente esticada, de 15 a 25 cm acima do solo, quando as plantas estão com 30 a 35 cm de altura, antes que acamen. A fita é amarrada na estaca (escorada) da extremidade. Em cada estaca é feita uma laçada com a fita, indo por um dos lados da fileira e voltando pelo oposto. Neste primeiro nível, a fita deve passar em zigue-zague entre as plantas. Não é necessário  que isso seja feito nos outros dois ou três  níveis acima, colocados a cada 15 ou 25  cm, à medida que as plantas crescem; elas são desbrotadas somente até o broto  imediatamente abaixo do primeiro cacho. 

Irrigação 
    Regar de três em três dias  em média, e conforme o grau de umidade  apresentado pelo solo.  

Germinação 
Cinco dias após o semeio

Floração 
Trinta dias após a germinação.  

Raleação 
Ralear quando as plantas estiverem com três ou quatro folhas, deixando as duas mais vigorosas.  

Adubacão em cobertura 
Pode-se fazer  a primeira adubação em cobertura após a  raleação, usando-se 5 kg de esterco líquido/m2. Fazer a segunda aplicação trinta  dias depois.  

Colheita 
    Dois meses após a semeadura para frutos com 20 cm de comprimento e um mês e meio para os frutos com 6 a 9 cm, destinados à fabricação de picles. A colheita deve ser semanal para estimular  rapidamente a formação de novos frutos.  Para consumo natural. o IAC recomenda  colheitas diárias.  

Rotação de culturas 
    A rotação pode  ser feita com repolho, alface, tomate, pimentão, quiabo, milho e adubo verde.  Evitar rotação com culturas da mesma família (abóboras, melão, melancia, chuchu  e maxixe).  

Rendimento 
    As variedades de mesa chegam a produzir. em média, dez a quinze frutos por planta, e as de picles  produzem 10 a 15 t/ha, para as variedades de mesa, é considerada normal uma  produtividade de 40 a 50 t/ha.  

Comercialização 
    É feita normalmente  em caixas tipo K, contendo em média 25  kg. 

Composição por 100 g 
    15 calorias, 0,7  g de proteínas, 16 mg de cálcio, 24 mg de  fósforo, 0,6 mg de ferro, 2 mmg de vita-  mina A. 0.03 mg de vitamina B1, 0,04 mg  de vitamina B2 e 14 mg de vitamina C. 

Fotos


0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .