Jiló

    O Jiloeiro (Solanum gilo Raddi), arbusto da família das solanáceas (a mesma da batata, tomate, berinjela, pimentão e pimentas), tem origem duvidosa, africana,sul-americana ou antilhana. Praticamente desconhecido na Europa e nos Estados Unidos, o jiló, fruto do jiloeiro, é apreciado para consumo humano e cultivado principalmente no cinturão-verde de São Paulo, Baixada Fluminense e algumas regiões de Minas Gerais. 

Variedades 
    Há dois grupos de jilós: o comprido verde-claro (preferido em Minas e no Rio de Janeiro) e o redondo verde-escuro (mais plantado em São Paulo). As variedades mais comuns do tipo comprido são a comprido verde-claro e a tinguá. Do tipo redondo, a principal é a morro grande. 

Clima e solo 
    É uma hortaliça tipicamente tropical, muito exigente em calor e pouco tolerante ao frio. Os solos preferidos são areno-argilosos, bem drenados (a planta não suporta excesso de água), férteis, com bom teor de matéria orgânica e pH 5,6 a 6,6. 

Plantio 
    Nas regiões de clima quente, pode ser o ano todo. Onde o clima é mais frio, planta-se de setembro a fevereiro. As mudas são produzidas em sementeira. Os sulcos são distanciados de 10 cm, com 1 cm de profundidade, gastando-se em média 3 g/m2. Para produzir mudas suficientes para 1 ha, são necessários de 150a 200 g de sementes. Pode-se também semear em copínhos de papel-jornal com 10x 6 cm. O transplante é feito quando as mudas tiverem 6 folhas definitivas e cerca de 15 cm de altura. Segundo a Emater-MG, as covas têm 25 cm de profundidade e 25 cm de boca, e o espaçamento é de 1,50 x 0,80 m. As mudas são colocadas na cova com a mesma profundidade que estavam na sementeira. 

Pragas e doenças 
    A principal praga é o ácaro vermelho. As doenças são a podridão do colo, antracnose, cercosporiose, murcha verticular, ferrugem, podridão-algodão, podridão, tombamento, mosaicoy, pústula bacteriana, podridão mole e murcha bacteriana. 

Tratos culturais 
    A planta é mantida no limpo e as irrigações são mais frequentes na fase de pegameuto das mudas. 

Colheita 
    Inicia-se 90 ou 100 dias depois do semeio e prolonga-se por mais de três meses. Os frutos são colhidos quando bem formados, verdes, com sementes e polpa ainda tenras. Os frutos que já adquiriram cor vermelha (maduros) não têm valor comercial. A embalagem é feita em caixas tipo K, contendo em média 18 kg. 

Composição nutricional por 100
    38 calorias,1,4 g de proteínas, 22 mg de cálcio, 34 mg de fósforo, 1,0 mg de ferro, 66 mmg de vitamina A, 0.07 mg de vitamina B1, 0,07 mg de vitamina B2 e 27 mg de vitamina C.

Fotos

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .