Castanha-do-pará

     A Castanheira (Bertolletia excelsa, H.B. K.), que produz a castanha-do-pará ou castanha-do-brasil, é uma das plantas mais valiosas da floresta amazônica, praticamente toda aproveitável, encontrada no Pará, Mato Grosso, Amazonas, Acre, Maranhão e Rondônia, Roraima e Amapá. Sua castanha, que contém uma amêndoa nutritiva e de grande valor econômico  para a região Norte, é o segundo mais im-portante produto extrativo do Pará, logo depois da madeira. Os castanhais da região de Marabá, no entanto, vêm sendo constantemente depreciados, tendo a produção de castanha sido reduzida em mais de 55% no período de 1978 a 1983, por causa do desrespeito às leis de proteção da planta, ao desmatamento, à falta de fiscalização nas derrubadas e à substituição da cobertura vegetal por lavouras e pastagens, que provocam o desaparecimento dos insetos polinizadores. Temendo o abandono dessa atividade extrativa,como ocorreu com a borracha, a Embrapa vem desenvolvendo métodos de cultivo racional da castanha e já obteve árvores que chegaram a produzir 25 litros de sementes aos 11 anos, enquanto os castanhais nativos com plantas de mais de 50 anos produzem 16 a 55 litros /ha. 

Clima e solo 
    Vegeta em regiões de clima quente e úmido, em terras firmes de mata alta e de solo argiloso ou argilo-silicoso. 

Propagação 
Castanheira    A germinação das sementes ocorre entre doze e dezoito meses depois da semeadura. A Embrapa estudou três processos para preparo de mudas: 
a)sementes com casca, semeadas a uma profundidade de 2 cm de solo composto de uma parte de terra vegetal e uma de serragem curtida. A germinação começa por volta do sexto mês e após dezoito meses obtém-se cerca de 25% de germinação; 
b) as quinas e os pólos germinativos das sementes são esmerilhados. A semeadura é idêntica à do processo anterior.Depois de dezoito meses, obtêm-se 41% de germinação; 
c) a semeadura de amêndoas favorece o surgimento do calículo das sementes. Após o descascamento, as sementes são imersas em solução fungicida, à base de acetato fenilmercúrio, por noventa minutos. Secam à sombra e são semeadas em areia branca. Todos os processos exigem que as sementeiras fiquem suspensas, protegidas com tela contra o ataque de roedores e por rega quinzenal com formicida, para evitar ataque de formiga. A repicagem para sacos plásticos de 17 x 27 cm é feita antes de as plantinhas terem suas folhas abertas. O substrato, composto de duas partes de esterco de gado curtido com oito partes de terra vegetal ou de uma parte de esterco de galinha e nove de terriço, deve estar bem úmido, para evitar a queda da radícula. As mudas são gradativamente expostas ao sol e, no final da adaptação, ficam de quinze a trinta dias a céu aberto. 

Plantio 
    As mudas estão prontas quando atingem 25 cm e têm dezesseis folhas abertas. Aconselha-se destacar a área. As covas, de 40 x 40 x 40 cm, são cheias com mistura de terra vegetal mais 10l de esterco curtido de gado e 50 g de super-fosfato triplo. O espaçamento para consórcio com culturas de ciclo curto ou perene é de 10 x 15 m e com pastagens de 10x 20 m ou de 20 x 20 m. 

Enxertia 
    As mudas recebem enxerto quando atingem de 1 a 2 cm de diâmetro, a 20 cm do solo. As hastes das gemas que formam os "cavaleiros" são retiradas de ramos-guias das matrizes altamente produtivas. O cultivo é formado de pelo menos cinco matrizes, para garantir a produção de frutos. 

Polinização 
    Devem-se deixar faixas de mata ou capoeira, onde os insetos polinizadores podem viver, perto do lugar de cultivo. 

Tratos culturais 
    A roçagem e o coroamento são feitos de dois em dois meses. Em consórcios com pastagens, faz-se apenas o coroamento. Pouco antes da estiagem, é feita uma cobertura morta ou amontoa de restos vegetais em tomo da planta para reter umidade. 

Adubação 
    Nos seis primeiros anos, é aconselhável utilizar a mesma formulação e dosagem para o cultivo da seringueira. 

Pragas 
    As principais são as formigas cortadeiras. 

Poda de formação 
    É necessário eliminar os ramos mais baixos do caule e os das pontas dos ramos para boa formação da copa. 

Produção 
     As castanheiras provenientes de sementes podem iniciar a frutificação aos 8 anos, quando expostas diretamente ao "sol, e as enxertadas aos 3,5 anos, dependendo da posição da gema que lhe deu origem. Por isso, recomenda-se retirar a haste da gema localizada logo abaixo da inflorescência do ano anterior, em matrizes altamente produtivas.

Usos 
    A madeira é usada na indústria de construção civil e naval, para esteios e obras extemas; é boa fonte de celulose. A casca fornece estopa; o fruto é usado como combustível, para de fumar borracha e na confecção de objetos como cofres, farinheiras, vasos, etc; e a amêndoa contidana semente serve para fins alimentícios, sendo denominada "carne vegetal" pela qualidade e a quantidade dos ácidos aminados que contém. O leite da castanha é obtido da mistura de água com castanha ralada, usado em iguarias e no tratamento de manchas da pele. O óleo extraído da amêndoa é utilizado na aviação e no fabrico de sabões finos e cosméticos. Sua composição é semelhante à do óleo de mamão, com teor de ácido esteárico de 8,78%, enquanto o do mamão é de 3%. Do resíduo da extração do óleo obtém-se farinha rica em proteína, que pode ser utilizada em misturas com farinha de trigo para fabricação de pão mais nutritivo ou como ração animal. 

Composição nutricional por 100 g 
    636 calorias,14 g de proteínas, 198 mg de cálcio, 577 mg de fósforo, 3,4 mg de ferro, 7 mmg de vitamina A, 1,09 mg de vitamina B1, 0,12 mg de vitamina B2 e 10 mg de vitamina C. 

Fotos
Castanha-do-pará, Bertolletia excelsa
Castanheira do pará

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .