Mangaba

    O fruto da mangabeira (Hancornia speciosa Muell), curiosamente, não deve ser apanhado no pé, se não fica duro e amargo. É preciso esperar que caia e só depois de 24 horas pode ser comido, ou poderá ainda ser colhido de "vez" aproximadamente 2 dias antes da maturação, tempo para transportar a fruta até o local da venda. A mangaba é muito apreciada pelas populações dos estados do Norte e Nordeste do Brasil e por animais (suínos, bovinos e aves). Os índios já a conheciam e faziam uso dela há muito tempo, tanto que lhe deram o nome que significa, em tupi "coisa boa de comer". A mangabeira é um arbusto que chega a atingir 5 m de altura, com suas folhas opostas, lanceoladas, pequenas e estreitas, e as flores alvas de cheiro suave. Os frutos, em forma de pêra, são pequenos. 

Utilidade 
    Apesar de se aproveitar tudo da mangabeira, ela ainda é pouco utilizada. O mais importante é o uso do fruto como comestível. A mangaba é muito aromática, redonda ou oval, delicada e de ótimo sabor. Entretanto, só deve ser comida madura, pois quando ainda verde, o suco leitoso causa embriaguez e algumas vezes a morte. Quando madura, a mangaba é amarelada com manchas vermelhas; sua polpa branca e fibrosa recobre várias sementes circulares compridas. Mesmo madura, a mangaba continua um pouco viscosa por causa do suco leitoso de sua polpa. Ela pode ser usada ainda no preparo de geléia, doce em calda, compota, sorvete, refresco, licor, vinho e xarope. O leite é usado também como medicamento contra a tuberculose e no tratamento de úlceras. Do tronco e das folhas retira-se látex, muito explorado durante a 2ª Guerra Mundial como substituto da borracha, mas de qualidade um pouco inferior. A madeira, apesar de não ter grande valor econômico, pode ser usada na fabricação ode móveis e como lenha. 

Clima e solo 
    Adapta-se bem ao clima tropical e se dá bem em terrenos não férteis, os tabuleiros arenosos e secos e as regiões altas do Norte e Nordeste do país. Aparece também na região Leste e nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Em Sergipe, a mangabeira é nativa e muito abundante no litoral. 

Cultivo 
    A melhor época para o plantio é o início das chuvas. As sementes são plantadas em canteiros de 1 m de largura por 30 cm de altura, a semente é a única forma de propagação. Depois de 30 a 35 dias, elas começam a germinar. Cerca de sessenta dias depois, as mudas atingem 10 cm de altura. As sementes devem ser muito bem lavadas, para que não fique nenhum resíduo da polpa, que inibe as sementes. O poder germinativo delas cai rapidamente entre o quarto e o oitavo dia depois de retiradas do fruto. Em seguida faz-se a repicagem, utilizando para isso jacás, bambus, laminados, caixotes etc. Espera-se mais quinze dias (quando as plantas deverão ter atingido 20 cm de altura) e só então faz-se o transplante para o local definitivo. Em cada metro quadrado cabem 400 sementes; num canteiro de 1 m de largura por 30 cm de altura e 10 m de comprimento cabem 4 000 sementes. As mudas, ao serem transplantadas, deverão ser colocadas em covas de 60 x60 x 60 cm, adubadas um mês antes. 

Adubação 
    A matéria orgânica é muito bem aceita pela mangabeira, sendo mais indicado o esterco de curral ou de aves, na proporção de 20 a 30 l por cova. O espaçamento indicado para a mangabeira é de 6 x 6 m por árvore. A terra do canteiro (sementeira) deve ser misturada com esterco curtido: três partes de terra comum com duas de esterco ou terra vegetal. O mesmo pode ser feito para os jacás, bambus etc. 

Capina  
    É muito importante no cultivo da mangabeira. pois, como as frutas caem,. o chão precisa estar bem limpo. Geralmente, faz-se uma capina no início do ano e outra no final do inverno. 

Pragas 
    A mangabeira é muito resistente a pragas e doenças. Não se registra a ocorrência de nenhum tipo de ataque. 

Colheitas 
    A mangabeira dá duas safras por ano. A floração de agosto dá frutos em janeiro a março, a chamada safra-do-botão. A segunda safra, de abril a junho, é conhecida como safra-das-flores. A produção começa aos cinco anos. Não é registrado a colheita da mangaba em culturas comerciais, mas apenas a produção extrativa de frutos (coleta de frutos em árvores nascidas espontânea ou sub espontaneamente).

Composição nutricional por 100 g 
    43 calorias, 0,7 g de proteínas, 41 mg de cálcio, 18mg de fósforo, 2,8 mg de ferro, 30 mmg de vitamina A, 0,04 mg de vitamina B1, 0,04 mg de vitamina B2 e 33 mg de vitamina C.

Fotos

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .