Acerola

    A Acerola (Mal glabra L) é uma fruta parecida com a cereja européia, originária das Antilhas e, por isso mesmo, conhecida como cereja das anti1has. Tem o tamanho de uma pitanga, e vermelha, de sabor ácido levemente doce e tomou-se uma das frutas mais preparadas para o plantio em pomares domésticos por sua importância como alimento e remédio: é uma das frutas com o maior teor de vitamina C. Em 100 g de sua polpa há de 2000 a 5000 mg de ácido ascórbico (vitamina C), o que equivale a até cem vezes mais do que contêm a laranja (50 mg de vitamina C por 100 g da parte comestível) e o limão (49 mg por 100 g). Como se sabe, a vitamina C perde suas propriedades quando é exposta à luz e ao ar, cozida, e quando entra em contato com sais de cobre ou de ferro. Experiência feitas com suco de acerola mostraram que, depois de cozido para a fabricação de geléia, ele ainda continha 495 mg de vitamina C por 100 g de suco, muito mais que outras frutas incluídas entre as mais ricas em vitamina C, como o araçá (326 mg), o caju(219 mg), a goiaba (218 mg) e a manga(53 mg). Bastam, por exemplo, duas a quatro frutinhas ao natural, por dia, para satisfazer as necessidades de um adulto dessa vitamina. Para criança de até 1 ano é suficiente uma frutinha, e para as de até 10 anos, duas. A acerola é também rica em vitamina A, ferro e cálcio.
    A UFRPE Universidade Federal Rural de Pernambuco foi responsável pela introdução da acerola no Brasil, em 1955. 

Clima e solo
cerola (Mal glabra L)    Desenvolve-se em clima tropical e subtropical, preferindo temperaturas em tomo dos 26ºC e chuvas bem distribuídas de 1200 a 1600 mm anuais. Dá bem em quase todos os tipos de solo.

Plantio 
    Deve ser plantada quando a muda estiver com 30 a 35 cm de altura, com esterco bem curtido, farinha de osso ou fosfato de rocha e cinzas, de preferência na estação chuvosa. Logo após o plantio, se não estiver chovendo, regar com 10 a 20 l de água. O espaçamento deve ser de 4 X 3 m até 5 X 4 m, dependendo da fertilidade do solo e dos tratos culturais. Em terras mais férteis, a cerejeira das Antilhas, que é um arbusto com 2 a 3 m de altura e copa de 2,50 a 3 m de diâmetro, cresce mais e exige maior espaçamento.

 Multiplicação 
    Cada acerola tem três sementes, que podem ser usadas para produzir mudas, porém só 20 a 30% delas germinam, Depois de lavadas e secas à sombra, as sementes são plantadas em sulcos, a 20 cm uma das outras. A germinação ocorre de 20 a 25 dias depois.Quando as plantas estiverem com 10 a 15cm de altura, faz-se a repicagem, eliminando as menos sadias e passando as demais para sacos plásticos, onde ficam até a época do plantio definitivo. Pode-se obter também mudas por enxertia, utilizando-se borbulhas sob a casca, como no enxertio de laranjeiras, ou por meio de estacas com 1 cm de diâmetro e de 20 a 25 cm de comprimento.

Tratos culturais 
    São dois: limpeza do terreno e irrigação nos períodos secos. Aconselha-se fazer uma adubação no período seco e outra no período chuvoso. São recomendadas também podas para a retirada do excesso de ramos, a fim de arejar a parte interna da copa.

Colheita 
   A frutificação começa aos dois anos e meio ou três anos e ocorre de quatro a sete vezes por ano, dando um total de 20 a 30 kg anuais do pequeno fruto de 1 a 3 cm de diâmetro e 20 a 10 g de peso. A acerola dá frutos por mais de cinqüenta anos. A colheita é feita quando os frutos estão completamente maduros, se for para consumo imediato, ou, no caso de serem transportados, quando apresentarem cor amarelo-rosada. Nesta hipótese, os frutos devem ser a condicionado sem recipientes que não permitam a entrada de ar e colocados em refrigerador, à temperatura de aproximadamente 7°C. Cada fruto tem 80% de polpa comestível.

Composição nutricional por 100 g 
   0,68 g de proteínas, 8,7 mg de cálcio, 16,2 mg de fósforo, 0,17 mg de ferro, 0,079mg de vitamina B2 e 2.000 a 5.000mg de vitamina C.

Fotos
A acerola frutifica de 3 a 7 vezes em um único ano
A acerola frutifica de 3 a 7 vezes em um único ano

Cultivo de acerola

Referências

COELHO, S. M. B. M.; MELETTI, L. M. M.; GUAGGIO, J. A. Acerola. In: INSTRUÇÕES AGRÏCOLAS PARA AS PRINCIPAIS CULTURAS ECONÔMICAS. Campinas: Instituto Agronômico, 1998, p. 96-97.

GONZAGA NETO, L.; SOARES, J.M. Acerola para exportação: aspectos técnicos da produção. Brasília: EMBRAPA-SPI, 1994. 43p. (FRUPEX. Publicações Técnicas, 10)

Aspectos econômicos e de mercado. In: SÃO JOSÉ, AR; ALVES, RE. (Ed.). Acerola no Brasil: produção e mercado. Vitória da Conquista: UESB, 1995. p.107-1Z3.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .