Abricó

    O Abricoteiro-do-pará (Mammea americana L.), da família das gutíferas, é uma fruteira originária das Antilhas e norte da América do Sul e cultivada em toda a Amazônia. A árvore, que atinge até 20 m de altura, tem copa densa, de verde profundo, com flores alvas. Seu fruto, o abricó, é uma baga grande, redonda, com 15 a 20 cm de diâmetro, que termina em um pequeno mamilo. O peso médio do fruto varia entre 650 e 700 g, embora, em casos raros, chegue a 2 kg. A polpa do abricó, uma massa amarelo-avermelhada, é consistente, doce e aromática. 

Usos 
    Devido à casca adstringente e à existência junto à polpa de uma membrana fina, porém amarga (cujo contato com os lábios ou com a língua é incômodo e persiste por algumas horas), o fruto quase não é consumido ao natural e sua produção destina-se, principalmente, à feitura de doces caseiros e à industrialização. Pelo cozimento ou infusão das cascas tanto do fruto como da árvore, produz-se um remédio usado no combate às sarnas dos animais. O chá das folhas é utilizado contra febres intermitentes. Das flores são produzidas essências de largo uso nas Antilhas e Cabo Verde. De cor branca ou rosada e de consistência dura, a madeira é empregada na marcenaria e carpintaria. Os ramos novos e os brotos, esmagados e fermentados, dão uma bebida vinosa, conhecida nos países que a fabricam pelos nomes de "Toddy" e "Momín", a resina que a casca da arvore solta é utilizada como inseticida, em especial contra o bicho-de-pé, e como remédio contra picada de insetos e úlceras. As flores submetidas à destilação constituem a base da "água dos crioulos" e do licor. "creme dos crioulos", produtos muito apreciados nas Antilhas e Cabo Verde, como refrigerantes e digestivos.

Variedades 
    Não são conhecidas, mas as plantas podem ser unissexuais masculinas ou femininas e, raramente, hermafroditas. As duas últimas produzem frutos arredondados. 

Clima e solo 
    Vegeta bem em clima quente e úmido, em solos argilo-arenosos de terra firme profundos e bem drenados. 

Propagação 
    O método mais utilizado é o de sementes selecionadas, mas o processo vegetativo, por meio de enxertia,dá ótimos resultados.

Sementeira 
    O canteiro é preparado com uma mistura de terra vegetal, esterco de curral bem curtido, areia e cinza, na proporção de 4:3:1:1, peneirada e bem misturada. As sementes são colocadas em filas, em sulcos de 5 a 8 cm de profundidade e 10 cm de distância entre si. O solo é irrigado periodicamente, sem ser encharcado. As mudas surgem 32 dias após o semeio e as mais vigorosas são repicadas quando atingem 10 cm de altura, em paneiros, sacos plásticos ou laminados, preparados com a mistura da sementeira. 

Plantio 
    As mudas mais robustas, 40 a 50 cm de altura, são plantadas no local definitivo durante o período das chuvas, de dezembro a junho, e de 25 a 30 dias após o preparo das covas. Recomenda-se o plantio nos vértices de triângulos com 9 m de lado. A cova com 50 cm em todas as dimensões é cheia com terra superficial raspada e misturada com 10 kg de esterco de curral ou composto bem curtido, 500 g de caleário, 400 g de fosfato de Araxá e 200 g de cinzas de madeira. A muda é retirada do invólucro, evitando-se a quebrado bloco e o enterrio profundo, e protegida com cobertura morta. O espaçamento recomendado permite o plantio de 141 mudas por hectare. 

Adubação 
    É feita com matéria orgânica de acordo com a análise do solo e a recomendação dos técnicos. 

Tratos culturais 
    O coroamento é feito com capina em tomo da planta, evitando-se danos no tronco e a formação de bacias. A roçagem deve ser feita com cuidado, para não afetar as raízes das plantas invasoras, que evitam a erosão. A cobertura morta, com capim seco, é feita na estiagem.

Podas
    Com a poda de formação, eliminam-se os galhos de até 1,50 m do solo, e com a poda de limpeza, os galhos secos, doentes, parasitados e improdutivos. 

Pragas e doenças 
    A abelha-cachorro ou abelha-Irapuã é controlada com a destruição de seus ninhos no alto das árvores. A única doença é a podridão-das-raízes.

Colheita e Produtividade
    A colheita vai de maio a setembro, estendendo-se até outubro ou novembro. Os frutos, ainda verdes, são retirados das árvores quando atingem bom tamanho e levados para o"abafamento", quando, então, amadure-cem precocemente e assim podem ser conservados de quinze a vinte dias. Já maduros, caem espontaneamente, sendo a polpa perfumada, de gosto agradável e de melhor qualidade; nesse caso, o tempo de conservação é de dez dias. A produção regular do abricoteiro ocorre geralmente no oitavo ano, mas há casos de floração e frutificação precoces. A produção média anual é de 250 frutos por planta, com rendimento de 35.250 frutos por hectare. 

Composição nutricional por 100 g 
    47 calorias, 0,6 g de proteínas, 8 mg de cálcio, 15 mg de fósforo, 0,4 mg de ferro, 30 mmg de vitamina A, 0,03 mg de vitamina B1, 0,05 mg de vitamina B2 e 16 mg de vitamina C.

Fotos

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .