Manjericão

   O manjericão é uma planta da família das labiadas, que só do gênero Ocimum tem cerca de 60 espécies diferentes. A que apresenta a melhor qualidade em óleo essencial e aroma é o Ocimum basilicum L., do tipo europeu, também chamada de manjericão-doce. No Brasil essa espécie não deve ser confundida com outras, também conhecidas como manjericão ou alfavaca. As confusões e dificuldade na identificação de cada espécie são devidas à ocorrência de polinizaçóes cruzadas entre espécies ou variedades diferentes, provocadas principalmente pela ação das abelhas. Isso gera hibridações, cujas descendências apresentam formas diferentes ou linhagens instáveis. O produtor de manjericão deve estar atento a esse problema e cultivar somente uma variedade, destruindo as plantas diferentes que apareçam no meio da cultura. O manjericão doce é originário da Ásia (Índia) e África (Egito). No Brasil, a planta é perene e chega até 50 cm de altura. 
manjericão

Clima e solo  
    Prefere clima ameno, quente e úmido. Não tolera temperaturas baixas e nem geadas. O manjericão prefere solos relativamente soltos, férteis, permeáveis, frescos e ricos em matéria orgânica decomposta. Devem ser evitados os solos duros e com crostas na superfície. 

Plantio 
   O manjericão se propaga por meio de sementes, em sementeiras ou no local do plantio definitivo. As mudas originárias das sementeiras são transplantadas quando atingirem de 10 a 15 cm de altura ou tiverem um mínimo de cinco ou seis folhas. O espaçamento recomendado é de 60 cm entre as linhas e 30 cm entre as plantas. A época de plantio depende do clima da região. Semeia-se na primavera quando se tem certeza de que a temperatura não descerá abaixo dos 15°C, nos três meses seguintes. Em regiões tropicais quentes é possível semear no inverno, desde que as temperaturas não sejam inferiores a 18°C. As sementes são colocadas a 1 cm de profundidade no máximo, e cobertas com terra. Logo a seguir pressiona-se levemente o local. 

Colheita 
   Inicia-se quando a planta atinge o ponto máximo de desenvolvimento. O corte é feito a 15 cm da superfície do solo. Isso garantirá melhor rendimento na segunda colheita. Se as plantas não forem consumidas frescas (uma boa cultura proporciona de 1 a 1.5 kg de ramos e folhas frescas por touceiras), devem ser deixadas ao sol por 2 ou 3 horas, para secagem e posterior produção de óleo essencial. Qualquer que seja o uso que se fizer da planta, é necessário evitar o amontoamento e o umedecimento, para impedir a fermentação. 

Utilidades 
   As folhas frescas (com ou sem ramos) ou secas são utilizadas como condimento em vários pratos e molhos. Em forma de infusão é utilizada contra as gripes, resfriados, bronquites, mau-hálitos e gases intestinais.

Fotos:
Pé de manjericão
O majericão confere aos alimentos um aroma agradável e característico

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .