Mucuna-anã

   A mucuna-anã (Stizolobim deeringiua-num) é uma planta anual, herbácea, semi-ereta, que atinge de 40 a 50 cm de altura. Suas flores são de cor violeta e as vagens, escuras, cobertas de pêlos, contêm de três a cinco sementes de cor parda, com manchas claras. O ciclo vegetativo dura em tomo de 150 dias, produzindo flores com oitenta a noventa dias após o plantio. Existe uma variedade de mucuna trepa-deira, a mucuna-rajada, cujas sementes se confundem com as da variedade anã, por causa da mesma coloração e manchas. Por não ser rasteira e nem trepadeira, e ter o porte ereto, a mucuna-anã é recomendada para o plantio entre as fileiras de culturas perenes, como cafezais e pomares, contribuindo para enriquecer o solo como adubo verde.

Clima e solo
Mucuna-anã   A mucuna-anã se desenvolve bem em clima tropical e subtropical e em quase todos os tipos de solos. Cresce mesmo em terras cultivadas por muitos anos seguidos ou em terras relativamente fracas.
Plantio
 Logo após o preparo do solo, para evitar a concorrência de invasoras. A época indicada para plantio é a das chuvas. Para a obtenção de sementes, o espaçamento indicado é de 60 a 70 cm entre as fileiras, deixando cair uma semente a cada 20 em (30 kg/sementes/ha). Para a produção de massa verde, tanto para forragem como para adubação, o espaçamento é de 50 cm entre as fileiras, colocando-se duas sementes a cada 20 cm de distância ao longo da linha. Uma maneira prática e econômica de plantar a mucuna-anã é o uso de semeadeira com a mesma chapa utilizada para o milho, mas com os furos alargados, a fim de permitir a queda das sementes.
Semente (grão) de Mucuna anã
Semente (grão) de Mucuna anã

Tratos culturais
    São aconselháveis duas capinas durante os primeiros trinta a quarenta dias após o plantio, dispensando outras até o final do ciclo, pois a partir de um mês e meio do plantio a planta já cobriu totalmente o terreno. Nos casos de plantios em rotação, a mucuna-anã aproveita o adubo residual que foi aplicado na cultura anterior. Nos plantios em solos muito pobres, que não tenham sido cultivados corretamente, é necessária a aplica-ção de uma dose de adubo fosfatado que pode ser fosfaro de rocha (aplicar três meses antes do plantio), na base de 300kg/ha.

Pragas e doenças
   A mucuna-anã não é afetada por moléstias que lhe causem danos sensíveis. Lagartas que atacam outras culturas podem, eventualmente, infestar a lavoura, mas não chegam a prejudicar seriamente o seu rendimento, por causa do vigor de sua vegetação.

Colheita 
   O corte ou incorporação para adubação verde ocorre com aproximada-mente noventa dias após o plantio o importante é que seja logo no início do florescimento. Depois de roçadas, a massa vegetal é deixada sobre o solo, ou incorporada. Para produção de sementes e forragem, a mucuna-anã é colhida na época da maturação e passada em uma trilhadeira comum (a mesma utilizada para feijão, milho, soja, etc). A massa resultante da debulha serve como alimento para o gado ou para ser distribuída no terreno onde cresceu, como adubação verde.A operação de arranquio é facilitada pelo uso de máquinas utilizadas para a mesma operação no amendoim ou por uma cortadeira de feijão. Em áreas destinadas à produção de sementes, o rendimento va-ria entre I a 1,3 t/ha, dependendo da fertilidade do solo, entre outros fatores. A produção de matéria seca é de 4 a 6 t/ha. A mucuna-anã pode incorporar mais de100 kg de nitrogênio por hectare.

Referencias:
Incaper: Cartilha sobre adubação verde e compostagem, Vitoria 2008,
Emprapa: Boletim de pesquisa e desenvolvimento 13, Consórcio de Milho e Mucuna Anã Visando ao Manejo Sustentável do Solo em Área de Agricultura Urbana, ISSN 1677-2229 Dezembro, 2004.

0 comentários :

Postar um comentário

 
Lider Agronomia - Todos os direitos reservados. | Política de Privacidade | Template Clean, criado por Tutoriais Blog .